O que é a Constelação Sistêmica?

A constelação sistêmica é um conhecimento que tem aplicação em diversas áreas de atuação. Ela foi estudada e observada por mais de 30 anos pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger e tem encontrado um excelente resultado em suas aplicações na terapia familiar, na consultoria organizacional, na saúde e no direito, entre outras áreas.

Esse conhecimento tem sua origem na terapia familiar e na observação da influência exercida em todos os integrantes de um sistema familiar por meio de um campo inconsciente de cada família.

Isso pode parecer óbvio se considerarmos os relacionamentos diretos, como pais e filhos. Afinal, é comum que eles convivam juntos até uma certa idade.

O que Hellinger descobriu é que, na verdade, há uma influência invisível que se dá por meio da existência do vínculo, independentemente da convivência.

Dessa forma, um filho recebe a influência do pai ou da mãe que o abandonou, por exemplo. Ou um bisavô que nunca conviveu com seu bisneto pode ter questões difíceis de sua vida incidindo sobre a vida do bisneto pelo fato de estarem ligados pelo vínculo familiar.

O campo familiar

Essa influência, que não necessita de palavras ou convivência, se dá pelo campo familiar, que é um conjunto inconsciente de acontecimentos, conhecimentos e experiências que agrupa tudo o que aconteceu dentro de uma rede familiar.

Nós, hoje, somos o elo mais recente dessa rede, que remonta a muitas gerações anteriores. Cada geração, com suas dores, vivências, amores, perdas, ganhos, sucesso, fracasso, saúde ou doença, contribuiu com tudo o que hoje faz parte da nossa história familiar. Está tudo neste inconsciente.Essa ideia é apoiada pela teoria dos campos morfogenéticos, de Rupert Sheldrake, biólogo inglês.

O olhar da constelação sistêmica traz que, motivados por nosso vínculo, podemos estar conectados a esses destinos, principalmente os difíceis, e repeti-los em nossa vida. E isso ocorre em função daquilo que Hellinger denominou “as 3 leis da vida”.

 

As leis dos relacionamentos

No seu trabalho com as constelações sistêmicas, Hellinger observou que todos os relacionamentos, sejam eles entre familiares ou não, estão sujeitos a três parâmetros. São eles a ordem, o pertencimento e o equilíbrio.

Esse conhecimento surgiu da observação empírica no trabalho sistêmico de Hellinger. E como o psicoterapeuta traz, esses três aspectos incidem sobre todos os relacionamentos, quer as pessoas envolvidas saibam da existência dessas leis ou não, quer elas concordem ou não.

Apenas para facilitar a compreensão, duvidar ou desacreditar dessas leis é como duvidar ou desacreditar da lei da gravidade. A pessoa sofrerá os efeitos da mesma maneira.

A ordem fala que no sistema familiar – e de forma geral em todos os sistemas – cada pessoa possui seu lugar. Assim, um avô vem antes do pai, que vem antes do filho. E quem vem antes tem precedência em relação a quem vem depois.

Um filho é sempre menor que seu pai, no sentido anímico. Porém, é comum que haja uma disfunção, e o filho se coloque como maior que seu pai, por exemplo, quando lhe dá conselhos. Ou mais difícil ainda, quando se coloca no movimento de compensar algo por ele. Quando essa transgressão da ordem acontece, o inconsciente familiar se tensiona para recuperar o lugar de cada um.

Nós, como integrantes deste sistema, sentimos este tensionamento através das nossas dificuldades na vida.

 

O pertencimento e o equilíbrio

O pertencimento fala que todos aqueles que nascem em um sistema familiar têm o direito de ter seu pertencimento garantido nele. Logo, não há motivo possível para exclusão. Porém, se observa de forma comum que em quase todos os sistemas familiares há algum tipo de exclusão, seja por alguém que não agiu conforme as regras familiares, seja por qualquer característica não aceita.

Quando o pertencimento de um integrante é transgredido, o sistema se tensiona para exercer pressão a fim de garantir o retorno do excluído ao seu lugar. E nós experimentamos esse tensionamento como dificuldades em nossa vida.

A terceira lei é a do equilíbrio nas trocas entre os relacionamentos, que devem sempre tender para o equilíbrio para se manterem positivas e existentes. Quando numa troca o dar e receber é desequilibrado, com um lado dando muito e recebendo pouco, ou mesmo se negando em receber de volta o que está dando, o sistema se tensiona. E mais uma vez, nós, como integrantes deste sistema, percebemos o tensionamento por meio de dificuldades em nossa vida.

 

A tensão no sistema

Uma dinâmica comum que é utilizada por esta inteligência familiar que busca garantir a ordem, o pertencimento e o equilíbrio de todos ao seu sistema é a repetição.

A constelação sistêmica diz que, motivados por nossa lealdade familiar e o vínculo que nos liga a essa grande rede, nos colocamos inconscientemente – através de um amor infantil – à disposição do sistema para resgatar acontecimentos difíceis e repeti-los, como forma de alcançar uma cura sistêmica.

Ao mesmo tempo, nos emaranhamos nesses destinos, e experimentamos em nossa vida essas dificuldades. Estamos fora de nosso lugar, presos ao nosso amor infantil que deseja fazer algo pelo nosso sistema.

A constelação sistêmica e seu trabalho auxiliam a trazer essa dinâmica oculta para a consciência, e com amor e respeito, nos ajudam a nos liberar dessas repetições. Dessa forma, podemos seguir para a vida sem estar presos em outros destinos. Ficamos livres para viver nosso próprio caminho.

 

Além do sistema familiar

Ao longo dos anos desde o início dos estudos de Hellinger e também de outros estudiosos que vieram antes, como Virginia Satir, Ruth McClendon e Les Kadis, foi sendo observado que essa dinâmica de influência não fica restrita aos sistemas familiares. De fato, onde houver um grupo organizado de pessoas, com relacionamento entre si (um sistema), poderá haver influência entre seus integrantes.

Ainda que o campo familiar é o que mais nos influencia de forma pessoal, a constelação sistêmica e sua aplicação organizacional, no direito sistêmico e na pedagogia, nos convida a ampliar esse olhar.

Por exemplo, no campo das empresas, o grupo de trabalhadores que compreendem todo o quadro de uma instituição também formam o campo empresarial de atuação daquela organização. Mesmo o relacionamento entre as áreas funcionais poderá ter suas dinâmicas observadas por meio do trabalho da constelação organizacional.

No campo do direito sistêmico, a dinâmica trazida por Hellinger tem auxiliado em processos no caminho da pacificação e do acordo entre as partes, com resultados processuais surpreendentes.

 

Aprenda mais sobre a abordagem sistêmica

Em 2020, traremos para Curitiba o constelador internacional Cecilio Regojo, que ministrará a 45ª Formação Internacional de Systemic Management e Constelações Organizacionais. Mais neste link.

Esse curso contará com o conteúdo da constelação sistêmica e do seu olhar para o trabalho com empresas. A formação tem a duração de 11 dias em formato superintensivo, e inicia em novembro. 

Para mais informações, entre em contato pelo (41) 9 9968-2687 ou pelo e-mail [email protected].

 

Veja mais:

Celebrar a vida e o tempo

Publicado: 9 de junho de 2020

Nos últimos anos, Bert Hellinger, considerado o pai das constelações sistêmicas, escreveu sobre a vida e a forma como lidava com a morte iminente. Falou sobre colocar as coisas em ordem e sobre como o tempo se tornou precioso a ponto de não querer desperdiçá-lo com fatos irrelevantes. E para exemplificar sua visão sobre o […]

O que são as novas constelações sistêmicas?

Publicado: 23 de maio de 2020

Um conhecimento que tem encontrado um grande resultado nos campos em que tem sido aplicado. Essa é uma forma simples de descrever o movimento que está acontecendo com a Constelação Sistêmica no Brasil e no mundo. A Constelação Sistêmica é um conhecimento filosófico que encontrou primeiramente uma aplicação na terapia familiar. Graças a estudiosos e […]

Constelações organizacionais auxiliam na tomada de decisões

Publicado: 12 de maio de 2020

O trabalho sistêmico baseado nas constelações familiares de Bert Hellinger tem se ampliado para muitas áreas. Isso porque essa metodologia contribui para que se entre em contato com a questão essencial escondida em cada dificuldade, seja de ordem pessoal, familiar, de saúde, de justiça, educacional ou empresarial. No âmbito empresarial, a consultoria sistêmica tem auxiliado […]

Lidando com as emoções

Publicado: 5 de maio de 2020

Vivemos em um período de muita instabilidade e incerteza, o que gera ansiedade. E tudo bem ficar ansioso. Recebemos, constantemente, um grande volume de notícias – seja assistindo a um jornal ou acessando alguma rede social, é inevitável não ficarmos por dentro dos acontecimentos -, e o isolamento e a distância de quem amamos também […]

Um olhar sobre o novo vírus

Publicado: 24 de março de 2020

Bem, como não há como não pensar sobre o assunto, decidi registrar e compartilhar com vocês alguns questionamentos, analogias e, talvez, maluquices. “Corona” vem de coroa, do divino, ou seja, a palavra tem uma relação com o espiritual. Posso pensar dentro de um contexto mais amplo e buscar compreender, entender, ou mesmo, me perder nos […]

O que é a Constelação Sistêmica?

Publicado: 4 de março de 2020

A constelação sistêmica é um conhecimento que tem aplicação em diversas áreas de atuação. Ela foi estudada e observada por mais de 30 anos pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger e tem encontrado um excelente resultado em suas aplicações na terapia familiar, na consultoria organizacional, na saúde e no direito, entre outras áreas. Esse conhecimento tem […]

Vera Boeing traz a Curitiba curso de constelações organizacionais

Publicado: 12 de janeiro de 2020

Entre 14 e 24 de novembro, o constelador sistêmico Cecilio Regojo conduzirá, em Curitiba, a 45ª Formação Internacional de Systemic Management e Constelações Organizacionais, correalizada pela Vera Boeing Desenvolvimento de Pessoas. Reconhecido mundialmente pelo seu trabalho em constelações, Cecilio tem experiência empresarial de mais de 40 anos. É formador internacional em constelações organizacionais, master trainer certificado […]

Confira a programação dos grupos terapêuticos de constelações sistêmicas

Publicado: 10 de janeiro de 2020

Os Grupos Terapêuticos de Constelações Sistêmicas conduzidos pela psicóloga Vera Boeing já existem há quase 20 anos em Curitiba. Desde o início de 2018, com o intuito de atender à crescente demanda pelas constelações sistêmicas, os encontros, antes quinzenais, passaram a ocorrer toda semana, sempre às quartas-feiras. “As constelações são uma excelente metodologia para trabalharmos […]